Qual é o futuro dos imigrantes sob a aliança do novo governo Trabalhista/New Zealand First/Green?

Nau Mai, Haere Mai!

Hoje os partidos políticos que compõem o próximo governo da Nova Zelândia lançaram seus acordos de coalizão. Agora, pela primeira vez, podemos fazer algumas previsões baseadas nas informações atuais no que está à frente para as pessoas que desejam migrar para Nova Zelândia para uma nova vida ou para aqueles que já estão aqui e aspiram a se tornar residentes e, eventualmente, cidadãos.

A primeira surpresa é que o partido New Zealand First parece ter cedido para o Labour Party com relação à sua política de imigração mais extrema. Também é bom ver que nenhum parlamentar da New Zealand First ocupará o cargo de Ministro da Imigração ou Ministro Associado da Imigração. O novo Ministro da Imigração será o ex-porta voz do Labour Party para assuntos de imigração, Iain Lees Galloway, e o novo Ministro Associado da Imigração será Kris Faaloi.

O Partido Trabalhista busca uma redução anual da migração líquida em 20.000 – 30.000. No ano até setembro de 2017, a migração líquida foi de 71,000 segundo a Statistics New Zealand. Este número inclui os Kiwis que retornam do exterior, bem como os australianos que têm o direito de residir na Nova Zelândia. O diagrama abaixo ilustra como esses números são compostas:

O partido trabalhista tem intenção de reduzir o número de vistos nas seguintes categorias:

A Bola de Cristal

Agora vamos dar uma olhada na Bola de Cristal. Por favor note estas são previsões, não conselhos baseados em leis ou instruções de imigração. Minhas previsões baseiam-se principalmente na política de imigração do site do Partido Trabalhista, mas a experiência nos diz que tudo o que os partidos políticos prometem pode ser bem diferente do que eles fazem!

ESTUDANTES

Previsões

O direito a 20 horas de trabalho por semana para estudantes não mais estarão disponíveis para:

  • Cursos terciários que são classificados abaixo do nível de bacharelado que seja ministrado em Estabelecimentos de Ensino Privado (PTEs)
  • Os vistos de trabalho de pós-estudo abertos não estarão mais disponíveis para estudantes que estudam abaixo do nível de bacharelado
  • 10 pontos de bônus para um ano de estudo de pós-graduação na Nova Zelândia serão removidos

Por exemplo, uma qualificação de diploma level 7 não dará  direito de trabalho ou um visto de trabalho de pós-estudo, pois será considerado abaixo de um nível de bacharelado de 3 anos a menos que seja ministrado por uma universidade ou uma politécnica.

No entanto ainda acho que o direito a 20 horas de trabalho por semana estarão disponíveis para estudantes de língua inglesa que estudam em uma escola de categoria 1.

A política do Partido Trabalhador faz uma clara distinção entre cursos de alta qualidade e cursos de baixa qualidade. A definição de baixa qualidade parece ser tudo abaixo de um grau de bacharelado não ensinado por uma instituição governamental, como uma politécnica ou uma universidade.

Tem havido muita atenção da mídia sobre estudantes com diplomas de business sem valor sendo explorados por empregadores sem escrúpulos. O Partido Trabalhista vê uma redução entre 6.000 e 10.000 alunos por ano e dizem que o modelo dessa redução virá inteiramente dos estabelecimentos privados de ensino.

Espere ver alguns dos PTEs de menor qualidade excluídos do mercado nos próximos meses. Aqueles com  padrões de qualidade suficientes para oferecer qualificações de pós-graduação continuarão, mas seus cursos com nível abaixo de bacharel poderão ser descontinuados.

Você deve também ter notado a redução maciça de 9.000 – 12.000 em vistos de trabalho pós-estudo na tabela acima. Mais uma vez, isso virá dos alunos de PTEs que estão estudando programas com nível abaixo de bacharel.

Se você estiver estudando em uma universidade ou politécnica ou um curso de pós-graduação em um PTE, então você não precisa se preocupar.  Mas se você não estiver, então é possível que você não consiga obter um visto de trabalho pós-estudo depois de se formar.

Isso se aplicará aos estudantes atualmente estudando um curso de Nível 7 em um PTE?

Aqui a Bola de Cristal fica bastante opaca. O acordo anterior é que os imigrantes que estão em um caminho de visto estabelecido estão autorizados a completá-lo. No entanto, existe uma forte motivação política para parar o número de alunos com diplomas de baixa qualidade à procura de trabalho, portanto  acordo anterior  poderá não ser aplicado desta vez.

VISTOS DE TRABALHO

Previsões

  • Os vistos de trabalho serão muito mais difíceis de obter em Auckland, Wellington e Christchurch
  • Os trabalhadores migrantes serão encorajados a procurar emprego nas regiões
  • Queenstown manterá seu status especial para imigrantes que procuram trabalho – e outros pequenos centros também podem ter um status semelhante
  • Os empregadores terão de fornecer mais provas de que procuraram cidadãos ou residentes da Nova Zelândia para preencher posições e provar que estão oferecendo uma taxa de remuneração de acordo com o mercado
  • As bandas salariais altas, médias e pouco qualificadas introduzidas pelo National Party em agosto serão revistas e provavelmente serão abolidas. O Labour Party e o Green Party consideram a categoria pouco qualificada, onde os titulares de vistos não têm direito a ter parceiros e crianças com eles, como injusto. Esta não é uma política oficial do Partido Trabalhista, mas ouvi os porta-vozes da imigração do Partido Trabalhista e dos Verdes falarem contra esta política em agosto
  • O visto Kiwibuild permitirá às empresas do setor da construção recrutar um trabalhador estrangeiro sem a necessidade de procurar cidadãos ou residentes neozelandeses para cada cidadão ou residente da Nova Zelândia que empregarem como aprendiz
  • Vistos de Talento Excepcional para até 1000 candidatos por ano. Este será um caminho direto para a residência para candidatos com habilidades e qualificações em novas indústrias de alta tecnologia, sem exigência de Pontos de Migrantes Qualificados para se qualificarem.

Existe uma clara intenção tanto do Partido Trabalhista quanto da Nova Zelândia Primeiro de tentar direcionar o trabalho de imigrantes para longe dos principais centros e para as regiões. Devido às afiliações sindicais do Partido Trabalhista, podemos esperar ver testes mais rigorosos sobre as taxas de remuneração. Os sindicatos há muito suspeitam que a mão-de -obra de imigrantes está prejudicando a capacidade de seus membros obter uma taxa de remuneração justa.

Além disso, o Governo comprometeu-se a aumentar a taxa mínima de pagamento de NZ$ 15,75 para NZ$ 16,50 em abril de 2018, com novos aumentos para NZ$20,00 em 2021. Se eles poderão realmente dar esse nível de aumento até 2021 o tempo dirá, mas a Nova Zelândia certamente irá tornar-se um lugar mais atraente para trabalhadores pouco qualificados nos próximos anos.

VISTOS DA CATEGORIA FAMÍLIA

Previsões

  • Esta categoria de visto será reintegrada. Em agosto, ouvi os porta-vozes do Partido Trabalhador e dos Verdes para assuntos de imigração imigração declararem que iriam restabelecer essa categoria.

Esta política é um ponto de princípio para o Labour e para os Greens. Eles acreditam que é importante para o estabelecimento bem sucedido que as famílias tenham a capacidade de se unir na Nova Zelândia e, embora não seja uma política declarada, espero ver essa categoria de visto reintegrada muito em breve.

RESIDÊNCIA

Previsões

  • 30 pontos para idade estarão disponíveis para candidatos com até 45 anos
  • Remoção de 10 pontos de bônus para um ano de estudo na Nova Zelândia
  • Mais pontos disponíveis para emprego qualificado em regiões menores. Possivelmente menos de 30 pontos para o emprego em grandes centros de alto crescimento (além de Auckland), como Hamilton, Tauranga, Wellington ou Christchurch
  • Limite atual dos pontos do Migrante Qualificado irá permanecer em 160 para o futuro previsível.

O aumento de idade de 39 para 45 anos para 30 pontos de bônus destina-se a atrair trabalhadores mais qualificados e experientes do exterior, reconhecendo que as pessoas com essas habilidades e experiência serão muitas vezes mais velhas.

Devido às metas de migração reduzida tanto do Labour quanto da New Zealand First, eu vejo poucas chances dos pontos mínimos de 160 pontos serem  reduzidos em qualquer momento no futuro previsível. No entanto, pode tornar-se mais fácil atingir esse limite para os candidatos nas regiões se o governo decidir oferecer mais pontos para trabalho regionais.

De volta à realidade

Agora, colocando a bola de cristal de lado, é claro que os imigrantes estão em tempos turbulentos à medida que nos ajustamos a um novo governo com uma agenda política radicalmente diferente. No entanto, o que é importante lembrar é que as tendências nativistas que vimos recentemente em países como os Estados Unidos e o Reino Unido não são prevalentes na Nova Zelândia.

A Nova Zelândia ainda é um país acolhedor para imigrantes e os Kiwis como um todo apreciam a contribuição que os recém-chegados fazem para a nossa sociedade. Se você tem boas habilidades, qualificações, experiência e atitude, o tapete de boas-vindas estará sempre em Aotearoa.

Hei Konā rā

Steve

 

Categories: NEWS